• 23 março

    Manchas, pintas, feridas, pelos: o que o rosto pode dizer sobre a saúde

    A pele funciona como um manto protetor do corpo e está conectada com todo o organismo. É o maior órgão do ser humano, além de ser uma das primeiras barreiras do sistema imunológico, que atua contra substâncias, vírus e situações que possam agredir e fazer mal. 

    Por ser mais fina do que a pele de outras partes do corpo e ficar mais exposta, a pele do rosto está mais sujeita às condições do ambiente, como a radiação solar e outros tipos de agressividade que podem variar de acordo com cada indivíduo.

    Por isso, "muitas condições manifestam-se facilmente no rosto. Literalmente, aparecem 'na cara'", explica Alexandre Sisnando, dermatologista da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) e da Clínica SiM, em Salvador. Segundo ele, é muito comum algumas doenças revelarem sintomas nessa região.

    Quando alguma das situações abaixo acontecer, é importante procurar um especialista para verificar se é uma condição normal e/ou sem perigo e verificar a necessidade de tratamento, que pode ser diferente em cada situação e a partir das suas causas.Por ser mais fina do que a pele de outras partes do corpo e ficar mais exposta, a pele do rosto está mais sujeita às condições do ambiente, como a radiação solar e outros tipos de agressividade que podem variar de acordo com cada indivíduo.

    Sinais de saúde na pele 

    Pele amarelada

    Um dos sinais de problemas de saúde pode aparecer na coloração da pele. Quando a pele fica mais amarela, isso pode indicar:

    - Excesso de betacaroteno no sangue, devido à grande ingestão de alimentos ricos na substância, como beterraba, mamão, cenoura, abóbora e tomate, por exemplo (condição conhecida como hipercarotenemia); 

    - Doenças do fígado (como hepatite, cirrose, câncer, cálculo na vesícula e outras); 

    - Doenças hematológicas (do sangue, como diversos tipos de anemia); 

    - Distúrbios nutricionais severos, provocados por problemas na absorção intestinal, anorexia, icterícia, dentre outras;

    - Cálculos na vesícula; 

    - Talassemia (anemia crônica); 

    - Câncer de pâncreas

    Manchas escuras

    Uma das queixas mais comuns nos consultórios dermatológicos é o surgimento de manchas escuras na pele. Elas podem ser indício de:

    - Melanoses (manchas por fotoenvelhecimento, que vêm com a idade); 

    - Efélides (as popularmente chamadas sardas); 

    - Nervos melanocíticos (tumor benigno); 

    - Traumas ou distúrbios na coagulação do sangue (por alergias alimentares, medicamentosas e por picadas de insetos, por exemplo). 

    - Melasma (excesso da proteína melanina, que pode estar associada principalmente a exposição à luz, mas também ao uso de anticoncepcionais hormonais e à gravidez)

    Feridas nos lábios

    Ferimentos nos lábios requerem uma atenção especial e pedem uma investigação diagnóstica. Para isso, é importante saber o tempo de evolução e as características da lesão. Podem aparecer quando há:

    - Herpes labial; 

    - Úlcera; 

    - Candidíase mucocutânea (quando a candidíase aparece nas mucosas);

    - Carência de vitamina B12 e ferro; 

    - Uso de dentaduras inadequadas e patologias odontológicas; 

    - Irritação por algum fator externo;

    - Desidratação;

    - Carcinoma espinocelular (tipo de câncer de pele que apresenta feridas que demoram para cicatrizar e sangram facilmente). 

    Lábios rachados 

    Já os lábios ressecados, condição diferente dos lábios com feridas, são resultado de exposição a agentes agressores. Acontecem quando há: 

    - Queilites químicas (inflamação pelo contato com ácido de frutas);

    - Queilites actínicas (inflamação pela radiação solar); 

    - Hábito de passar saliva dos lábios;

    - Reação alérgica (por pasta de dente e batons, por exemplo

    - Vermelhidão no rosto 

    Se o rosto fica vermelho com muita frequência ou incomoda, isso pode ser, sim, um sintoma de alguma questão de saúde. Ela pode indicar:

    Desidratação; 

    - Fotossensibilidade à luz solar (ou por ser clara ou por doenças reumatológicas, como lúpus eritematoso ou dermatomiosite);

    - Fotodano (agressão da pele pelo sol); 

    - Inflamação da pele (como a rosácea); 

    - Vasodilatação (alargamento dos vasos sanguíneos que nem sempre é doença e pode estar relacionado a temperaturas quentes, por exemplo). 

    Nódulos e pintas 

    A maioria das "pintas" são normais, chamadas de nevos, e são características genéticas. Podem ser indícios de: 

    - Queratose seborreica (bolinhas avermelhadas ou esbranquiçadas pelo acúmulo de queratina);

    - Lesões cancerígenas, como carcinoma ou melanoma; 

    - Verrugas virais (transmitida por vírus mesmo); 

    - Pápulas fibrosas (irritação ou lesão da pele); 

    - Cistos; 

    - Comedões fechados (cravos que cobrem o poro das glândulas). 

    - Pelos no rosto em excesso 

    Quando os pelos se apresentam como manifestação isolada podem não ter significado clínico, mas quando associados a outros sintomas, podem ser: 

    - Hipertricose (crescimento em excesso de pelo no corpo todo);

    - Hirsutismo (crescimento de pelo em mulher nas regiões mais comuns nos homens); 

    - Manifestação de síndrome dos ovários policísticos; 

    - Síndrome de cushing (elevada concentração de cortisol no sangue);

    - Hiperplasia adrenal congênita (distúrbio genético que afeta as glândulas suprarrenais, localizadas próximas aos rins);

    - Doença das glândulas adrenais (próximas a parte superior de cada rim); 

    - Distúrbios hormonais; 

    - Medicamentos (com corticoide, por exemplo);

    - Excesso de peso que leva à ação da insulina.

    Pálpebra caída

    Pode ser uni ou bilateral e acontece por alteração do músculo levantador da pálpebra devido a: 

    - Envelhecimento; 

    - Complicação pós-operatória;

    - Predisposição genética;

    - Problemas neurológicos, como AVC (acidente vascular encefálico);

    - Lesão do nervo periférico do rosto por herpes vírus ou trauma;

    - Tumores na cavidade orbitária (do olho)

    Fonte: UOL-VivaBem

    Voltar