• 16 maio

    Amora faz bem ao coração e melhora o humor; veja 7 benefícios da fruta

    De sabor doce e, ao mesmo tempo, azedo, a amora é uma das frutas mais apreciadas no mundo. Seu formato lembra um cacho de uva em miniatura e sua coloração vermelha ou roxa é bastante característica. Além de deliciosa, é versátil, rica em nutrientes e proporciona benefícios à saúde, sendo bastante conhecida pelas suas propriedades medicinais.

    Ela é fruto da amoreira, uma árvore da família das rosáceas, e apresenta diversas variedades, como amora-preta, a branca e a vermelha. No entanto, a espécie mais comumente encontrada no Brasil é a amora-preta. "Ela é arredondada e, inicialmente, apresenta-se na cor vermelha, mas quando está bem madura fica preta", diz Edson Credidio, médico nutrólogo.

    A variedade preta é altamente nutritiva, uma vez que apresenta em sua composição grande quantidade de vitaminas C (15,8 mg), A (11 mcg), E (1,17 mg), e minerais magnésio (15 mg), fósforo (16,5 mg), potássio (121 mg) e cálcio (21,8 mg), além de conter poucas calorias: em 100 g da fruta, por exemplo, há 35 kcal.

    Veja os benefícios da amora para a saúde:

    1. Previne o envelhecimento precoce

    A fruta ajuda a evitar a formação dos radicais livres e a prevenir o envelhecimento celular, por ser rica em antioxidantes, substâncias cuja função é proteger as células.

    Além disso, as antocianinas presentes na fruta são relacionadas a um efeito anticancerígeno, a um controle glicêmico e à prevenção de doenças cardiovasculares.

    2. Melhora o funcionamento do intestino

    O consumo de amora ajuda a regular o trânsito intestinal e a evitar a prisão de ventre, por ser uma excelente fonte de fibras e de água. Uma xícara (chá) de amoras, por exemplo, fornece aproximadamente 8 gramas de fibras.

    3. Ajuda na saciedade

    Por conter fibras e poucas calorias, a amora produz sensação de saciedade, assegurando uma absorção mais lenta dos nutrientes e, assim, auxiliando no controle do peso.

    4. Faz bem aos ossos

    A amora contribui no fortalecimento dos ossos, por ser rica em cálcio, mineral que auxilia a saúde óssea. Consumida pura ou na forma de chá feito a partir das folhas, a fruta ajuda a garantir a força dos ossos e a prevenir a osteoporose.

    5. É benéfica para a saúde do coração

    Na amora-preta, a presença de fitoquímicos, como as antocianinas e carotenóides, atuam na prevenção e combate de doenças crônicas como doenças cardiovasculares. Além disso, a vitamina C presente na fruta ajuda no controle do colesterol e age contra o entupimento de artérias.

    6. Regula a pressão arterial

    A amora contém ácidos graxos poli-insaturados e monoinsaturados, também conhecidos como gorduras "do bem". Uma revisão de estudos apontou que dietas ricas em gordura monoinsaturada diminuem os níveis de açúcar no sangue, triglicerídeos, peso e pressão arterial em comparação a uma alimentação à base de carboidratos.

    7. Fortalece o sistema imunológico e melhora humor

    A vitamina C presente na fruta fortalece o sistema imunológico, ao estimular a produção de linfócitos e glóbulos brancos, e ajuda o corpo a lidar com processos inflamatórios causados por doenças e infecções.

    Além disso, essa vitamina auxilia no raciocínio e no bem-estar ao contribuir com a síntese de neurotransmissores como serotonina, adrenalina, noradrenalina e dopamina.

    Benefício em estudo

    Ainda não há comprovação de que o chá de amora possa amenizar alguns sintomas da menopausa, mas alguns estudos em ratos mostraram que extrato da fruta pode mimetizar ou modular a ação estrogênica.

    Como consumir

    A amora pode ser consumida de diversas formas, desde a fruta, até sucos, chás, bolos e outras sobremesas que a utilizem em sua composição. A fruta pode, inclusive, depois de ser lavada e escorrido o excesso de água, ser congelada, o que ajuda a aumentar seu tempo de validade.

    Riscos e contraindicações

    A amora é rica em compostos fenólicos, que têm sido usualmente associados a diversos benefícios para a saúde humana, conforme já citado. Entretanto, o consumo deve ser reduzido no terceiro trimestre da gestação, pois pode prejudicar a formação dos vasos sanguíneos do coração do bebê. "Dessa forma, nesse período, a gestante deve reduzir o consumo de frutas vermelhas, chocolate, chás, café, chimarrão e outros alimentos ricos em compostos fenólicos", recomenda Tatiana Emanuelli, doutora em ciências biológicas, bioquímica, docente da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria).

    O consumo da fruta também pode causar reações alérgicas, como erupções cutâneas, comichão e inchaço, em algumas pessoas. Além disso, por serem ricas em carboidratos, a quantidade ingerida deve ser controlada por diabéticos.

    Fonte: VivaBem-UOL

    Voltar